8 sinais de um coordenador de academia com os dias contados

Compartilhe esse Conteúdo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on twitter

Tudo começa com um sonho.

O sonho de liderar uma equipe, o desejo de um cargo diferenciado, a vontade de colocar projetos para rodar e aquela sensação de “consegui crescer na carreira” e quando esse dia chega, parece que nem tudo são flores nem acontece como o planejado.

 

Como um efeito dominó, aquele tão sonhado brilho do cargo começa a desmoronar diante dos próprios olhos pois só no momento em que “assume a cadeira” é que você percebe a complexidade das competências emocionais e profissionais que são necessárias para ser um Coordenador de Alta Performance verdadeiramente gerador de resultado.

 

Nos últimos 4 anos tive a oportunidade de capacitar mais de 2000 coordenadores e gestores de academia em cursos de marketing, liderança e gestão, eram inquietantes e recorrentes os argumentos de sucesso e fracasso que eles tinham em suas historias de vida. Filtrando esses fatores consegui elencar os 8 principais sinais que eram os grandes sabotados de qualquer coordenador que buscava a alta performance

 

Espero que ao conhecer esses 8 sinais você se inspire a  alinhar seu comportamento com foco na Alta Performance

 

1- Liderança sem referência

A maior reclamação sempre foi falta de comprometimento da equipe. Essa queixa estava sempre em primeiro lugar e quando questionava sobre como era o modelo de liderança que o coordenador praticava ou o gestor para com ele as respostas eram: Como assim modelo de liderança? O que é um modelo de liderança? Na minha academia isso não funciona!

 

Ou seja, o conhecimento em modelos de liderança não existia e isso transformava o papel do coordenador em um simples cargo apoiado em uma posição de superior que mandava de desmandava, porém não tinha o principal elemento de um líder: A inspiração de pessoas.

 

O que fazer:

  • Estude modelos de liderança inspiradora e servidora.
  • Entenda como você pode inspirar seu time.
  • Descubra como contribuir para o desenvolvimento da equipe

 

2 – Relacionamento Frio

Pessoas tratadas como coisas. Isso mesmo, o que imperava eram os números. Um exemplo muito comum eram as conversas com os professores, onde o contato se dava apenas em momentos de erros, falhas ou ainda em dia de pagamento. O relacionamento interpessoal simplesmente não existia. Como não existe relacionamento, o respeito, admiração, comprometimento de senso de pertencimento não faz o menor sentido para essas pessoas.

 

O que fazer?

  • Conversar com o time frequentemente identificando seus problemas.
  • Reunir as pessoas e criar senso de comunidade.
  • Compartilhar seus pontos fracos e buscar soluções onde todos podem contribuir.
  • Reconhecer as pessoas não apenas pelas conquistas profissionais, mas também pelas pessoais.

 

3 – Ferramentas de Gestão analógica e desconhecimento do mundo digital

Decididamente este sinal é unanime quanto a estar no caminho contrário ao sucesso. O diagnóstico é quando o coordenador sente que está trabalhando muito e ganhando pouco. é quando ele percebe que o dia não rende porque está imerso em uma infinidade de tarefas, que embora sejam realizadas no computador com intermináveis planilhas, é um jeito antigo de trabalhar.

 

OU SEJA, embora ele esteja em um computador, ele não é digital. Ele não pensa online, desconhece ferramentas e estratégias digitais e online que otimizam o tempo, aumentam a performance, produtividade e resultado.

Outra característica é o uso do Facebook sem critério e planejamento de posts e conteúdos.  Neste vídeo https://marketingdeacademia.com.br/planejamento-de-post-no-facebook/ eu mostro um exemplo que você pode seguir, além de lhe dar um caminho que vai acelerar seu processo de aprendizado.

 

O que fazer: Uma das ferramentas que costumo recomendar e ensinar, pois além de gratuitas mudam a vida da pessoa, é o Google Drive http://google.drive.com e o Mind Meister https://marketingdeacademia.com.br/mindmeister,  dessa forma eu consigo ter todo tipo de informação (planilhas, artigos, projetos) online e podendo acessá-los de qualquer dispositivo, inclusive celular.

 

Resumindo: Substitua seu arquivos físicos armazenados em seu computador por documentos online.

 

4 – Cegueira de mercado

Um dos sinais que aceleram o desempenho do Coordenador é quando ele tem um “chip de oportunidade” instalado em sua mente. Isso quer dizer que o olhar dele sempre é focado em fazer coisas inovadoras e diferenciadas, enquanto todos vêem crise ele aproveita a situação e cria oportunidades sejam elas promocionais, comerciais, eventos.

 

Porém o mais comum é que ele tenha o que chamo de “cegueira de mercado”, onde quando o mercado fala que determinada coisa vai acontecer, ele acredita e entra no mesmo barco, fazendo mais do mesmo e sendo um reprodutor de regras.

 

Outra coisa que caracteriza a cegueira é a ausência de eventos, onde ele não desenvolve novos relacionamentos e ativa o network sendo visto, reconhecido e acima de tudo conhecendo outras visões de mercado.

 

O que fazer?

  • Olhar para tendências de novas modalidades, atividades, treinamentos.
  • Ter personalidade para ser a própria tendência.
  • Não ficar enclausurado dentro da academia achando que o que acontece ali é o mesmo que acontece no mercado

 

5 – Ciclo restrito de aprendizagem

“Isso eu já sabia. Vi isso em um livro. Já conheço essa estratégia”. Quando o coordenador começa a se “defender utilizando essas frases chega o ponto onde o seu desejo por aprender se esgotou, e ai que ele deixa claro que não terá um futuro promissor.

 

Muitas vezes ele se restringe a aprendizados superficiais ou apenas em assuntos ligados a própria área, não buscando em outras fontes e outros mercados informações novas e diferenciadas e com isso ampliando seu potencial intelectual.

 

Acredite: ninguém nasce sabendo nada!

 

Acredite também: ninguém aprende fazendo!

 

Por último: não adianta procurar cursos e mais cursos, se você não estiver disposto a colocar em prática o que você ouviu.

 

É preciso buscar as mais variadas fontes de conhecimento: livros, cursos, conversas com outros gestores. E com esse conhecimento em mãos, é preciso fazer! Você vai errar pelo caminho, mas vai descobrir que o erro é a forma mais eficaz e mais barata de aprendizado.

 

O que fazer?

  • Nunca pare de estudar
  • Busque fontes diferenciadas de aprendizado
  • Não tenha medo de errar, acertar é algo que acontece por acaso
  • Estimule seu time a aprender

 

6 – Prefere tarefas às pessoas

Cuidado para não ser o tipo de líder que só é notado em dois momentos: na hora de estabelecer a meta e na análise do resultado. O coordenador tem que estar presente durante essa travessia! Na verdade, quanto menos ele participar dos dois momentos citados, melhor!

Ao estabelecer a meta, ele deve ser um facilitador da discussão e cuidar para que o objetivo não seja nem fácil demais, nem impossível de ser alcançado. E no momento de verificar o resultado, deve provocar os liderados a analisar o porquê da meta não ter sido batida ou – ainda mais importante – dar os devidos créditos à sua equipe pelo sucesso!

O bom coordenador deve saber que uma meta se bate com as pessoas certas no time! Dedique-se à sua equipe e elas trarão o resultado que se comprometeram a alcançar!

 

O que fazer?

  • Acompanhe cada integrante do seu time diariamente
  • Dê feedbacks constantes (profissionais, pessoais e comportamentais)
  • Tome mais cafés e converse sobre os interesses do membro do seu time

 

7  – Gestão Burocrática

Isso é o que chamo de “Coordenador Planilha” ou ainda “Coordenador Fiscal”, que é aquele coordenador que passa todo seu tempo criando sofisticadas planilhas de controle, circulares, comunicados, regras e procedimentos.

Mais que isso, ele realmente se orgulha em dar ordens e realmente acredita que as normas estabelecidas devem ser seguidas a risca, sob pena de punição dos “rebeldes”.

Normalmente esse tipo de profissional tem pouca ou nenhuma influência como líder da sua equipe, tende a ser uma pessoa que o time não gosta de trabalhar e os que ficam, em sua grande parte o fazem por conta de dinheiro.

 

O que fazer?

  • Evite controles excessivos
  • Tenha reuniões de consenso e faça combinados transparentes com cada um do time
  • Utilize planilhas online compartilhadas com o time (ensine-os a usar)


8 – Frustrações de Resultados

Sempre digo que a frustração não está no resultado, e sim na expectativa errada sobre o resultado. E esse desalinhamento da expectativa está na falta de conversa entre o coordenador e o gestor e/ou equipe.

 

Quando não existe a conversa, diálogo, admiração é muito difícil ter um relacionamento sincero, o que faz com que as conversas relacionadas a metas sejam feitas (quando são) de qualquer forma sem o devido cuidado

 

O Que fazer?

  • Tenha um plano de metas e responsabilidades claro.
  • Tenha conversas frequentes para estabelecer a meta e analisar o resultado diariamente/semanalmente.
  • Realinhe constantemente as metas e ações e faça os ajustes necessários

 

Essas informações não foram tiradas de artigos científicos, livros ou qualquer pesquisa, e sim da voz e comportamento de mais de 2000 coordenadores assim como você ou algum que você conheça.

 

Compartilhe esta mensagem com eles, pois talvez se um ou dois pontos ajudá-los de alguma forma na gestão das suas equipes, já é um resultado positivo!

E se quer tomar uma ação imediatamente em busca de profissionalização do COORDENADOR DE ACADEMIA acesse http://semanadocoordenador.com.br

Postagens Relacionadas